domingo, 12 de fevereiro de 2012

   Ano passado, um professor do STBNe, fez uma pergunta pra nossa turma, que me fez pensar bastanteee...rs...a difícil pergunta era: Quem sou eu? E foi um exercício tão bom de fazer, que resolvi colocar aqui o resultado...rsrsrs...
Quem Sou EU??
    Eu bem poderia responder assim: Sou uma pessoa sensível, amiga, alegre, que gosta de viver, e outras qualidades e também defeitos; mas creio que mesmo sendo tudo isso verdade, seria ainda superficial para o modelo proposto nesta atividade, então, pra responder, fiz um exercício que faço sempre que quero saber algo sobre mim, de mim mesma; olhei-me no espelho, mas não como quem olha pra se admirar, olhei-me como quem tenta enxergar o mais profundo da alma, o mais íntimo da própria existência, e eis aí o que encontrei:
     Sou hoje o resultado de uma caminhada... Caminho este que vem sendo percorridos há quase 26 anos, os primeiros anos sem tanta consciência, mas ainda assim muito importantes... Percebo que para avaliar o EU atual, preciso olhar para o EU passado, e quando olho para este vejo o quanto cresci...
    Quando penso em quem eu sou, eu penso em vida, penso em Deus e assim penso nos mistérios que envolvem a minha existência no mais profundo, e vejo que sou constantemente desafiada a esta profundeza. Quando isso acontece, geralmente me sinto mais sensível, e consigo perceber de forma mais latente as situações que me cercam, as mazelas funcionam como aguilhões capazes de estraçalhar-me e me fazem pensar que não haverá como reconstituir, mas então me sinto forte o suficiente para transpor mais esta barreira.
   O espelho que por vezes, me mostra quem sou, mostra uma pessoa que ainda não descobriu todo o potencial que tem, mas que ao mesmo tempo, tem se esforçado para isso.  Tenho ganhado tempo em minha existência refletindo sobre a vida, minha vida, e penso que a vida pode significar o ato do acaso - por  ser O Criador supremo dono dos mistérios e não nos caber mais do que isto: viver cada dia, mas viver de forma que esta “vida” tenha sempre sentido.
     Encaro minha vida como ciclos, altos e baixos. Não tenho mais medo da noite [entenda noite como aquilo que ainda é desconhecido], mas percebo- a partir do crepúsculo com aquilo que ela tem a me ensinar, pois os dias passam, e muitas vezes buscamos respostas e não as encontramos.
     Mesmo com tantas perguntas sem respostas ainda, tenho uma certeza, a de que quero sempre, verdadeiramente viver, pensando na criação, pois é através dela que o EU materialmente É, e a ciranda do equilíbrio me "desequilibra" para revelar o seguinte: "Reequilíbrio" – uma Lógica da vida!    

2 comentários:

Wellington b1 disse...

Esta pergunta acaba aguçando a todos nós, pois vivemos nos perguntando, Quem somos? De onde viemos? Qual o nosso propósito? Mas tudo isso começa dentro de nós e quem somos na verdade? O que sentimos nos faz variar de uma forma gigantesca quem ou o que somos no nosso cotidiano, pois o nosso ser esta ligado com o nosso emocional e muitas vezes creio que não sabemos nem ao certo quem somos, pois estamos sendo um por dentro e mostrando outro por fora! Esta sua pergunta me fez pensar muito nestes últimos dias e gostei muito das respostas que obtive dos pensamentos que tem aflorado após algumas respostas, espero que você consiga responder com certeza não só a você, mas a todos, quem você é, pois pra mim você é uma grande amiga e uma maravilhosa escritora, gostei muito deste seu post!

Djavan Lopes disse...

“O que sou o que somos o que seremos”
Inquietações não nos faltam para responder essas perguntas! Sem eco. Porque penso que nunca sabemos ao certo quem somos. Pois na vida sofremos mutações.

Postar um comentário